depoimentos

    Flávio Antonio Bisol

    Não conhecia o caxiense Bruno Atti, e o livro A Praia da Rocha acabou transformando-se em um excelente cartão de visitas do autor. A obra é de boa estrutura, construída com um enredo factível e ágil, o que proporciona uma leitura envolvente. Lê-se num só fôlego. Bom livro. Bom autor. Agora vou tratar de ler o seu primeiro romance, o Legado do Führer, e esperar o próximo.

    Maristela Deves

    Meticuloso, Atti investiu na pesquisa para garantir a verossimilhança da trama. Procurou saber detalhes sobre o trabalho de um policial federal e conversou com psiquiatras para aprender sobre o comportamento de um psicopata. O resultado é um romance policial às antigas (mesmo que ambientado no Brasil e com uma temática bem atual), em que o leitor entra no jogo e tenta descobrir os culpados antes do final.

    Cláudio Troian

    Romance policial não é para os fracos. A habilidade com que o Bruno Atti dissimula os caminhos que levam ao verdadeiro culpado pelo desaparecimento das crianças, na sua mais recente obra "Praia da Rocha", quase me fez enlouquecer e, mesmo assim, não acertei... e ele de fato conseguiu surpreender-me com um final estonteante. Romance policial dos bons, tchê!!

Voltar